segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Decadência

É triste constatar
Sua frágil decadência
Muito triste notar
Toda essa demência

É triste observar
Tanta decadência
Necessita recuperar
Essa alma com urgência

Santo, Santo, Santo
Me abrigue em seu manto
Qual é a razão
Para tanto desencanto?

Santo, Santo, Santo
Conceda-me acalanto
Afague a minha dor
Acalme o meu pranto

Tão triste ressaltar
Notória decadência
Você infla o seu ego
Se destrói com iminência

Caráter que se foi
Inocência corrompida
Assisto a despedida
Com frustrante impotência

Nada pode parar
Sua desenfreada decadência
Já é impossível controlar.....

...triste decadência....

2 comentários:

Del disse...

Parabéns pela sua poesia, ela é simplesmente magnífica ;D

Anônimo disse...

Fala rapá!
Achei um email seu que dava conta do seu ingresso à blogosfera (19/07/2007 - quase ontem)e entrei para ver se ainda estava ativo, E ESTÁ! rs...
Congrats pelos pensamentos!!
Abs.
Chico