segunda-feira, 16 de maio de 2011

O Equilibrista



Equilíbrio precário
Você entre várias forças
Cada uma puxando de um lado,
Te arranhando, desgastando
Dia a dia,
Pouco a pouco

Equilíbrio de forças,
Você é a balança.
Aguenta sentimentos negativos
De toda a parte

E agora,
Você carrega,
O peso do universo
Todo nas suas costas

Tentando contra balancear,
Tentando julgar,
Tentando sempre pacificar

Todas as forças,
Contra você,
Você é o equilibrista,
Vai tentando se esquivar,
Com sua habilidade,
Vai tentando se segurar

Muitas forças,
Sentimentos destrutivos,
Interesses opostos
Contra você

A guerra
Em ponto de ebulição,
A bomba,
O estopim,
Você vai tentando desarmar

Vai tentando aguentar
Sozinho,
Calado,
Lutando

Até não dar mais,
Até não aguentar mais...

Até tudo desmoronar...

Um comentário:

Maíra da Fonseca Ramos disse...

Gostei do que li aqui. E o nome do teu blog parece com o meu, tirando o "barata" ao final...