quarta-feira, 8 de agosto de 2007

Dilacerando...


Esse império que caiu
Lágrimas que não foram o bastante
Foi o nosso mundo que ruiu
Nada se pôde fazer naquele instante

Esse sol que não se abriu
Barreiras que não nos deixam seguir adiante
Foi o nosso mundo que caiu
Você teimosa de orgulho, não obstante

Essa vida solitária
Somos nós dois no precipício
Nossa pretensão imaginária

Essa paixão totalitária
Sufoca desde o início
Bem vinda, realidade precária

4 comentários:

««Japønegø»» disse...

É isso aí cara, raras pessoas conseguem encarar um sentimento de verdade e quando tudo aperta correm pro canto delas e vão se divertir esperando que tudo caia do céu!

Juliana disse...

O lado profundo de Eduardo...
Me emociona saber que algumas pessoas ainda param para refletir sobre a vida, sentimentos, ao invés apenas de viver loucamente e desvairadamente...

Adorei

««Japønegø»» disse...

A propósito, configura seu blog pra comentários sem login. Aí todo mundo pode comentar. Se precisar de um help falaí!

««Japønegø»» disse...

Agora dá pra comentar sem ser usuário do blogspot/google. Isso aí, agora tá certo!
Tá devagar pra atualizar, hein, tô na espera...hehehe
Abraços