sábado, 7 de fevereiro de 2009

Obrigado, adeus!

Obrigado,
Por todas as cartas de amor,
Todos os momentos,
Todas as juras

Obrigado,
Por um dia trazer o céu a esse inferno em Terra,
Por um dia me levar ao paraíso
Por um dia me deixar embarcar
Na profundidade dos teus olhos

Olhos, que me levaram tão bem
Ao lado mais puro da tua alma,
Que fizeram também transcender
A minha própria alma

Obrigado,
Pelas incontáveis noites de amor
Pelo que de tão divino
Seria ofensa chamar apenas de sexo

Obrigado,
Por nos colocar a ambos
Com aspirações de anjos
Por me fazer viajar pela eternidade sem sair daqui

E digo obrigado
Até mesmo,
Pela imensa saudade que sinto agora
Daquilo que nunca mais voltará

Obrigado,
Por fazer tão difícil agora
Tão doloroso
Dizer adeus

Por ser a causa maior
Dos meus milhões de desvarios
Não querendo seguir minha vida
Querendo ficar e insistir a todo custo

Mas amar, a si mesmo
Exige sabedoria,
E sabedoria de saber quando ir embora,
Saber quando temos que seguir nossos rumos

E dói dizer, dói muito!

Obrigado!
Mas, adeus!

Um comentário:

Claudinha disse...

Amei... Porém se vc apimentar as poesias com um toque de sagitariano... o que achas?